Truck: Ramires admite erro de cálculo na disputa pela liderança e se desculpa com Benavides

Piloto paulista explica que tentou defender a liderança que pensou já estar conquistada no momento do toque no caminhão do adversário.

Encerrada a disputa da oitava e penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, Vinicius Ramires procurou, nos boxes, o adversário Valmir “Hisgué” Benavides. A ele, manifestar seu pedido de desculpas pelo toque entre os caminhões de ambos na 13ª volta da corrida deste domingo (11) no Autódromo Internacional de Campo Grande. Os dois pilotos, cada um por um motivo, acabaram ficando fora da prova.


O incidente ocorreu na reta dos boxes durante relargada da prova, logo após a intervenção programada do Pace Truck. Benavides liderava e Ramires era segundo. À bandeira verde, Ramires posicionou seu Mercedes-Benz à esquerda do Volkswagen do adversário. Poucos metros depois da linha de largada, moveu o caminhão para a direita e atingiu Benavides, que saiu da pista, caiu para 14º lugar e procurou o caminho dos boxes, para abandonar a corrida.


“Errei. Pensei que já tivesse passado o caminhão dele. O meu espelho retrovisor estava sujo e avaliei mal quando fui para a direita. Minha intenção era apenas a de defender a posição que eu pensei que já tivesse conquistado”, lamentou Ramires. “Depois do fim da corrida, fui pedir desculpas ao Hisgué. Ele é um piloto muito experiente, entendeu o que aconteceu e aceitou o meu pedido de desculpas”, contou o piloto da Mercedes-Benz.


Com o incidente, Ramires assumiu a liderança, mas recebeu um drive-thru pela manobra. Pagou a punição e voltou à pista em 14º lugar. Após o término da corrida, o piloto também procurou a direção de prova e explicou o fato. Os comissários entenderam que o toque não foi intencional e limitaram a punição ao drive-thru cumprido na 16ª volta. Se entendessem que houve intenção de prejuízo a Benavides, Ramires poderia, no mínimo, ser desclassificado da corrida.


Ramires, sexto colocado no grid, teve um início de prova combativo e, ao término da primeira volta, já figurava na segunda posição. Ele também abandonou a corrida campo-grandense, sete voltas depois do incidente com Benavides. Tinha a roda traseira esquerda de seu Mercedes-Benz danificada por um toque que recebeu de José Maria Reis na disputa pela 12ª posição. “Era uma corrida em que tínhamos a chance de vitória, mas não foi um bom domingo”, resumiu.


A vitória em Campo Grande foi do paulista Roberval Andrade, da Scania. Vice-líder da temporada, ele reduziu de 23 a 17 pontos a vantagem do líder Felipe Giaffone, da Volkswagen, que largou em 19º e terminou em segundo. Apenas os dois seguem na disputa pelo título, que será decidido em Brasília na prova de 16 de dezembro. Os paulistas Jonatas Borlenghi e Renato Martins, ambos da Volks, e o catarinense Luís Zappelini, da Ford, completaram o pódio.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *