Truck: Roberval vai ao pódio em quinto e Beto abandona com furo no tanque de diesel

Pilotos da Roberval Motorsport obtêm resultados aquém do esperado na terceira etapa da Fórmula Truck e deixam Caruaru dispostos à reabilitação.

Roberval Andrade segue na temporada de 2008 como um dos dois únicos a terem freqüentado o pódio do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck em todas as etapas. Depois do terceiro lugar em Guaporé e da vitória em Goiânia, o paulista da Roberval Motorsport levou seu Scania à quinta posição na terceira etapa, neste domingo (4) no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Caruaru. Com isso, ele deixou de ocupar a liderança da competição.

“Eu corri pouco, pelo que os treinos projetavam”, ponderou Andrade, que dominou três das quatro sessões de treinos livres disputadas em Caruaru e teve, na tomada de tempos classificatória, uma queda de rendimento de seu caminhão, motivada por mudanças promovidas pela equipe na configuração de potência. “A gente tentou uma mudança que não deu certo e larguei em 11º. Fiquei devendo na classificação e isso interferiu na corrida”, disse.

Partindo da sexta fila em uma pista onde as manobras de ultrapassagem são dificultadas pelas curvas de baixa velocidade, Andrade lançou-se a uma prova estratégica. “Precisava pontuar e me preocupei em levar o caminhão até o final. Fiz algumas ultrapassagens, quando foi possível, mas o pelotão da frente é muito forte. Num traçado como o de Caruaru, é complicado buscar posições”, resumiu o piloto, que venceu a corrida pernambucana em 2001 e 2002.

Na última volta, Roberval foi ultrapassado por Renato Martins, que cruzou a linha de chegada em quinto lugar. A manobra do piloto da Volkswagen, contudo, rendeu-lhe o acréscimo de 20 segundos ao tempo total de prova. “O Renato veio, bateu no meu caminhão para tentar ultrapassar e continuou me empurrando para fora da pista. Bater é uma coisa que acontece nas corridas, mas empurrar já é conduta anti-desportiva”, avaliou o piloto da Scania.

Roberval perdeu a liderança para Felipe Giaffone, da Volks, que largou da pole e venceu. A diferença entre eles é de três pontos. “A nossa ordem é levantar a cabeça e buscar a recuperação. O nosso equipamento é bom o bastante para isso”, garantiu o piloto, que leva no caminhão as logomarcas de Scania, Knorr-Bremse, BorgWarner, Guerra, Frum, Rodafuso, KS, Mann Filter, Tanesfil, Banco PanAmericano, Niju, CCE, Intel e Consórcio Nacional Scania.

O pernambucano Beto Monteiro, outro piloto da Roberval Motorsport, teve uma prova ainda mais problemática. Sexto no grid, estava em quinto quando, na sétima volta, abandonou por conta de um furo no tanque de combustível. “É muita frustração para mim e para a equipe, pelo nível da equipe e pela qualidade do equipamento. É algo absolutamente imprevisível. Logo aqui em Caruaru, a minha casa, onde eu tinha caminhão quem sabe até para tentar vencer”, lamentou.

O paranaense Pedro Muffato, outro piloto que defende a Scania na Truck, terminou a corrida em oitavo lugar, marcando seus primeiros pontos no ano. “Até que consegui terminar bem. Eu fiz uma corrida com segurança, numa pista onde é reconhecidamente difícil passar”, resumiu. “É verdade que eu não arrisquei muito, mas não tinha muito mais do que isso para tirar do meu caminhão”, disse o piloto da MP Motorsport, que havia largado da 13ª posição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *