Velocidade na Terra: Paranaenses mantêm vantagem em Cordeirópolis (SP)

Organizada pelo Automóvel Clube de Cordeirópolis, com supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e Federação de Automobilismo do Estado de São Paulo (FASP), foi realizada no domingo passado a terceira e quarta etapas do Campeonato Brasileiro de Velocidade na Terra, no Autódromo Valdemar Fragnani, em Cordeirópolis, interior de São Paulo.

Turismo 1600

O piloto curitibano Christiano Bornemann (WD-40/Embretech/Mundial Prime/Fábrica de Festa) passou por momentos opostos e distintos em Cordeirópolis, pois no sábado, durante a 3.ª etapa, abandonou a prova com apenas três voltas, por quebra do eixo da homocinética e seu principal concorrente venceu com facilidade a corrida. Já na 4.ª etapa, Chris largou em terceiro, assumiu a segunda posição e na última volta viu seu concorrente direto ao título, Wanderson Freitas, abandonar com problemas mecânicos, dando de presente a vitória ao paranaense.

“Cordeirópolis tem uma pista fantástica e desafiadora, pena termos abandonado a corrida no sábado. Mas no domingo a sorte virou para o meu lado e vencemos mesmo não tendo o acerto ideal para aquela pista. Agora o campeonato continua em aberto e conseguimos manter a liderança da categoria Turismo 1600 até a próxima etapa, que será em data a ser definida pela CBA, provavelmente em Itú,interior de São Paulo”, disse Chris Bornemann.

Fusca Cross

As disputas também foram acirradas na tradicional categoria da velocidade na terra, a Fusca Cross também com domínio dos pilotos paranaenses. Rogério Melani (Adega The Muf’s/Academia R2), largou na pole-position da terceira etapa e chegou a abrir boa vantagem sobre o segundo colocado, mas teve problemas e rodou caindo para as últimas posições. Em corrida de recuperação, envolveu-se em acidente e abandonou a corrida, dando trabalho à sua equipe chefiada por Fabiano Ávila.

Na quarta etapa, largando da oitava posição, Rogério teve que retornar aos boxes para acertar seu carro que não rendia bem devido a batida. Depois, em boa corrida de recuperação, terminou a prova na sétima posição. “Não tive sorte nesta etapa de Cordeirópolis. Na primeira corrida, tinha muita vantagem e acabei desconcentrando e rodei. Na tentativa de recuperar me envolvi em acidentes. Na segunda corrida até acertar o carro foi difícil. O importante é que podemos descartar essa etapa, mas temos que caprichar na próxima”, concluiu Rogério Melani.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *