WRC: Nobre e Paula iniciam “temporada dos sonhos” em Monte Carlo

Piloto e navegador serão os primeiros brasileiros a disputarem toda a temporada do Campeonato Mundial de Rali

Os brasileiros Paulo Nobre e Edu Paula já estão em Mônaco, onde disputarão a partir de quarta-feira (18/01) o Rally de Monte Carlo. A prova abre o calendário 2012 do Campeonato Mundial de Rali, o WRC, que pela primeira vez contará com representantes do Brasil em todas as etapas da temporada.

Paulo Nobre, o Palmeirinha, e Edu Paula competirão a bordo de um Mini Cooper WRC nesta temporada que tem sido tratada por ambos como “dos sonhos”. “Ainda não estou acreditando que vamos correr a temporada toda do WRC! Confesso que isso era tão longe da nossa realidade que nem sonho eu tinha, mesmo depois de ter corrido uma temporada inteira de PWRC (carros de produção) em 2010! Só ano passado, quando andei ao lado do Armindo Araújo, no “shakedown” da Finlândia, que bateu uma vontade quase incontrolável de um dia andar uma prova com esse tipo de carro. Aí veio a prova da Grã Bretanha, onde estreamos na categoria WRC, e  passei a sonhar em fazer todo o campeonato! O negócio agora é relaxar e aproveitar essa oportunidade que qualquer piloto ou navegador do mundo gostaria de ter”, contou o piloto Paulo Nobre.

O Rally de Monte Carlo é composto em sua maioria por asfalto, mas o frio pode trazer gelo para as estradas que serão usadas na competição, condição esperada pelos brasileiros após um treino no último final de semana. “Correr aqui em Monte Carlo também era um sonho, pois é sem dúvida o rali mais famoso e charmoso de todos os tempos! Essa prova estava fora do calendário do WRC,  mas logo no ano que conseguimos viabilizar nossa participação na temporada do WRC a prova voltou ao calendário! Melhor impossível! Agora, seria mentira se não dissesse que estou com frio na barriga. O rali aqui é de asfalto, mas em muitos pontos a umidade no piso vira gelo durante a noite e, fora isso, a nossa experiência no asfalto é quase nula. Dessa forma, asfalto com gelo é algo absolutamente novo para nós!”, confessou Palmeirinha.

“O treino foi bom para voltar a ter o “feeling” do asfalto, nem que seja só algumas dezenas de quilômetros! Testamos vários compostos de pneus e também foi nossa primeira vez com o Mini WRC neste tipo de  terreno! Sendo mais leve o carro chega muito mais rápido a altas velocidades, e, em um trecho travado e estreito não é mole não! Assusta às vezes, principalmente quando vai chegando o final do dia e a temperatura vai caindo. Aí, com os pneus mais frios perdemos muito a aderência. Parece que o piso está molhado. Agora, imaginem tudo isso se encontrarmos gelo nas especiais!” concluiu o brasileiro.

O navegador Edu Paula, que comemorou seu aniversário no último domingo (15 de janeiro), ainda não acredita que o sonho se tornou realidade. “Correr uma temporada inteira com um WRC, participar do Rally de Monte Carlo… Às vezes, me pergunto se tudo isso está acontecendo mesmo!!!”, vibrou.

Jejum de 23 anos – Nobre e Paula tem a dificílima missão de quebrar o jejum de mais de 23 anos sem marcar pontos de representantes brasileiros no WRC. A última vez que isso aconteceu foi em 1989, quando a dupla Édio Füchter/Ricardo Costa conquistou a 10ª colocação no Rally da Argentina com um Volkswagen Gol e obteve um ponto no campeonato. “Nossa, seria incrível pontuar e colocar o meu nome ao lado de lendas do rali brasileiro. Mas sei das dificuldades que teremos pela frente. Estou competindo na F-1 do rali mundial contra os melhores pilotos do mundo, enquanto estou no meu primeiro ano na categoria. Vamos “jogar o nosso futebol” ao longo das 13 etapas do campeonato e se bobear, marcaremos pontos”, afirmou o piloto.

Brasileiros que terminaram na zona de pontuação no WRC:
Zilda Zacarias – Maria Carmo Zacarias –  Rally do Brasil 1981 – VW Gol, 9º geral, 6º Grupo 2 (2 pontos)
Aparecido Rodrigues/ José Mattos –  Rally do Brasil 1982 – VW Passat, 4º geral, 2º Grupo2 (10 pontos)
Ricardo Costa /Valter Vieira –  Rallye do Brasil 1982 – Passat Alcool, 5º geral (completou a prova, mas não pontuou no campeonato)
Jorge Fleck/ Silvio Klein – Rallye de Portugal 1982 – Opel Kadett GT, 10º geral, 2º Grupo 2. (1 ponto)
                         – Rally Argentina 1987 – VW Gol, 7º geral (4 pontos)
Sady Bordin/Joaquim Cunha – Rally Argentina 1985 – Chevrolet Chevette, 8º geral, 3º cat A7 (3 pontos)
Paulo Lemos/ Artur Cezar –  Rally Argentina 1987 – VW Gol, 6º geral (6 pontos)
Edio Fuchter/ Ricardo Costa – Rally Argentina 1989 – VW Gol, 10º geral, 9º cat A6 (1 ponto)

O Rally de Monte Carlo será composto por 18 Especiais e mais de 430 quilômetros de trecho cronometrado e terá início já na próxima quarta-feira (18/01). Incluindo os deslocamentos, a distância percorrida durante a prova chegará a 1300 quilômetros.
Quarta-feira (18/01)
Quatro Especias com 134,70 km cronometrados e 471,82 km percorridos no dia

Quinta-feira (19/01)
Seis Especias com 131,76 km cronometrados e 441,96 km percorridos no dia

Sexta-feira (20/01)
Três Especiais com 77,30 km cronometrados e 545,72 percorridos no dia

Sábado (21/01)
Quatro Especiais com 84,44 km cronometrados e 272,50 percorridos no dia

Domingo (22/01)
Uma Especial com 5,16km cronometrados e 48,47 percorridos no dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *