WRC: Torcedores “carregam” Nobre/Paula de volta ao Rally da Suécia

Dupla brasileira ficou presa na neve e com um pneu furado, mas contou com a ajuda do público para voltar a competição.

O segundo dia do Rally da Suécia, prova válida pela 1ª etapa do Campeonato Mundial de Rali, não sairá tão cedo das memórias de Paulo Nobre, o Palmeirinha, e Edu Paula. A dupla brasileira teve um sábado (13/02) muito complicado devido a um pneu furado e por ficarem presos em um monte de neve ao lado da trilha. Apesar do sufoco, os brasileiros terminaram o dia em alto astral e com muita gratidão a torcida sueca e agora ocupam a 8ª colocação na categoria P-WRC.

Na primeira passagem que os brasileiros fizeram pelas quatro especiais que formaram o dia de hoje no Rally da Suécia, a equipe BRR optou por calçar o Mitsubishi Lancer Evo X de Nobre/Paula com um jogo de pneus semi-novos. Isso fez o carro apresentar um comportamento estranho nas trilhas, quase rodando em curvas fechadas e escapando de frente nas freadas. Além disso, um problema no câmbio, que não contava mais com a marcha ré, tirou de vez a confiança de Palmeirinha no equipamento. “A parte da manhã foi um pesadelo. Os pneus que usamos tiraram toda a minha confiança em atacar as curvas na trilha e ainda tivemos o problema com a ré, que me dava a impressão que afetaria as outras marchas a qualquer momento”, disse Nobre.

Com pneus novos para a segunda passagem, Nobre/Paula voltaram a ficar a vontade nas especiais de neve. Só que aí faltou sorte a dupla, pois um pneu furado na 5ª especial do dia atrapalhou o bom resultado que eles vinham tendo. “Com pneus novos, o carro voltou a ser o que era mas pegamos uma pedra no meio de um “facão” e furamos um pneu. Fui parar o carro fora da estrada para não atrapalhar os outros competidores enquanto trocavamos o pneu furado, só que o “acostamento” que escolhi era na verdade uma ribanceira camuflada por um monte de neve. O carro afundou por inteiro ali e mesmo com a marcha ré íamos demorar uns dois dias para sair”, falou o piloto.

“Saímos do carro eu e o Edu e chamamos os torcedores para nos ajudarem. A galera veio e apesar do esforço de todos, o carro não saia do lugar. Depois de uns dez minutos tentando, já estavamos agradecendo o esforço de todos, mas não ia dar pra continuar. Mas a turma não se dava por vencida, Veio mais gente ajudar e eles praticamente carregaram o carro de volta para a trilha. Só que ainda tínhamos que trocar o pneu. E não é que eles arrancaram as ferramentas e o estepe das nossas mãos, mandaram a gente se preparar dentro do carro e trocaram o pneu furado, mesmo com a roda torta por termos rodado um pouco no aro. Eles jogaram as ferramentas dentro do carro e na hora de sair, um deles veio na minha janela e disse “quatro bom, um mais ou menos”, querendo dizer que um dos parafusos da roda não tinha ficado bem preso. E quando saímos dali dava pra ver a festa da galera, a maioria “meio” bêbada”, contou Palmeirinha.

De volta a trilha, os brasileiros aceleraram forte e conseguiram chegar a tempo de largar na especial seguinte, evitando uma punição. Dali em diante a dupla se sentiu a vontade para acelerar e mais do que nunca tem como objetivo chegar ao final do Rally da Suécia, numa homenagem ao esforço do público que permitiu que eles continuassem vivos na competição.

Apesar de ser uma competição de Velocidade, as provas do Mundial de Rali são tão longas quanto as que Nobre já enfrentou no Rally Dakar e em outras provas do Cross Country Mundial. “Isso aqui parece um Dakar, ontem andamos 700 km e hoje repetimos essa quilometragem, não é fácil não” brincou. Neste domingo, último dia de prova, serão percorridos “apenas” 445km, dos quais, 101 km serão cronometrados em cinco especiais.

A classificação da categoria P-WRC após dois dias de Rally da Suécia é a seguinte:
1º Patrik Flodin/Goran Bergsten (Suécia – Mitsubishi Lancer Evo IX), 2h27min53s8
2º Anders Grondal/Veronica Engan (Noruega-Subaru Impreza), 2h29min13s2
3º Armindo Araújo/Miguel Ramalho (Portugal-Mitsubishi Lancer EvoX),
4º Martin Semerad/Bohuslav Ceplecha (Rep. Tcheca- Mitsubishi Lancer Evo IX), 2h31min43s4
5º Fabio Frisiero/ Jordi Costa (Itália – Mitsubishi Lancer Evo IX), 2h40min54s7
6º Reijo Muhonen/Lasse Miettinen (Finlândia – Mitsubishi Lancer Evo X), 2h48min02s2
7º Gianluca Linari/Paolo Gregoriani (Itália- Subaru Impreza), 2h59min34s7
8º Paulo Nobre/ Edu Paula (Brasil – Mitsubishi Lancer Evo X), 3h10min54s1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *